Home » » Algo inesperado... mas bom (Capítulo II)

Algo inesperado... mas bom (Capítulo II)


Ainda inebriados com o cheiro a sexo entraram dentro do quarto, pediram dois whiskys e saborearam o momento enquanto procuravam forças para continuar...

E como era aconchegante aquela cama coberta por lençóis macios e perfumados, um convite perfeito para pôr em prática os mais íntimos pensamentos que tal aventura sôfrega de paixão e êxtase proporcionara...
Os corpos suados não conseguiam disfarçar a excitação! Os lábios carnudos de Maria deixavam Gonçalo louco, ao ponto de instintivamente levar as suas duas mãos aos cabelos de Maria, prendendo-os com firmeza.
- A tua boca deixa-me louco de tesão, os teus lábios são deliciosos!
Maria inclinou a cabeça no ombro de Gonçalo, oferecendo-lhe não só a boca, não só os lábios, mas também a língua quente, pronta a atear ainda mais o desejo que ambos sentiam um pelo outro!
Uniram as suas bocas num beijo molhado, agitado, prolongado, acompanhado por loucas brincadeiras que temperavam ainda mais a humidade de Maria.
Gonçalo gozava, via-se o desejo nos seus olhos, a tesão no seu sexo, a luxúria no seu corpo, a vontade nos seus dedos que não paravam de estimular a vulva quente, inchada e palpitante de Maria!
Maria completamente excitada esfregava o mastro de Gonçalo, massajando-o com mestria e vigor! Quase que Gonçalo se descontrolava mas Maria ainda não satisfeita controlava bem a situação.
De repente sem que Gonçalo contasse, desceu sobre o seu tronco abocanhando de uma só vez aquele longo pénis que depressa se alojou no interior da sua boca quente.
Gonçalo delirou com aquele gesto e quase a explodir de prazer, virou o corpo de Maria, abriu-lhe as pernas e mergulhou a sua boca sedenta naquela gruta de prazer!
- Hum... A tua boca chupa-me tão bem! És louca Maria!
Gonçalo estava doido com aquela boca, com aqueles lábios carnudos que lhe engoliam o sexo de forma gulosa!
Maria deliciava-se com a língua firme que Gonçalo fazia questão de enterrar na sua vulva, com os lábios que lhe acariciavam maleficamente o clítoris, com os dedos que
a penetravam em movimentos rápidos, vibrantes e que permaneciam dentro dela como encaixe perfeito!
Foi um 69 em grande, acompanhado de muitos gemidos orgásmicos que os fazia enlouquecer de prazer!
- Quero que te venhas na minha boca!
- Queres louca?
- Sim! Quero muito!
- Aííí... Como é boa a tua boca! Não posso esperar muito mais tempo!
Maria continuou a abocanhá-lo, enquanto as suas mãos apertavam aquele sexo quase a explodir!
A sofreguidão das línguas, o ritmo acelerado, os espasmos na boca, os dedos que insistiam sob o domínio do desejo...
- Vou-me vir! Vem-te comigo... quero-te!
- Estou quase... sussurra Maria, de respiração entrecortada.
Aceleraram o ritmo, em delírio...
- Não pares agora!
- Ahhh, simmm... isso...
Gonçalo derramou na boca de Maria o sémen quente, em golfadas, sentindo como ela o apertava enquanto absorvia na sua boca o néctar adocicado do prazer que também ela sentiu!
Relaxaram lado a lado, partilhando mais um beijo, misturando os sabores de um tesão sem igual!
 
Support : Copyright © 2015. diariodeuna esposaobediente - All Rights Reserved